Videos

.

.

.

.

Palestras e Conferências

.

(+) Quais classes sociais representa o governo do PT? Ainda que o lulismo seguramente represente interesses específicos, a estrutura de classe no Brasil e as políticas a ela associadas certamente não são fáceis de compreender. Em recente debate entre Armando Boito e André Singer para a IX Semana de Ciências Sociais da USP, o tema foi abordado e discutido de maneira profunda. Boito teoriza o lulismo no Brasil como uma frente política neo-desenvolvimentista que organizou conjuntamente os trabalhadores marginalizados com a grande burguesia produtiva interna que vinha se desprendendo das políticas neo-liberais da era Collor-Itamar-FHC. Singer entende o PT como um governo que arbitra entre classes com o trunfo de liderar o sub-proletariado. Ambos debatedores aproveitam para analisar os anos democráticos de 1980 bem como os governos neoliberais dos anos 1990, situando o lulismo como uma vitória parcial dos trabalhadores em meio a um fluxo histórico neoliberal. Para Singer, por exemplo, o conservadorismo brasileiro está em nossa história de continuidades sem rupturas, na qual a mudança vem sempre comandada pelos de cima. A década de 1980 e os movimentos de massa, de maneira inédita, romperam com essa tradição conservadora ao organizarem transformações de baixo para cima. Singer e Boito apresentam suas teorias de classe no Brasil para então responderem à questão central de quais interesses estão representados no Partido dos Trabalhadores. Um debate de excelente qualidade. Clique aqui para ver o debate Brasil Pós-88: Transformações, Continuidades e Desafios.

..

(+) Conferência “De Hegel a Marx… e de volta a Hegel! A tradição dialética em tempos de crise”, com Slavoj Žižek que aconteceu dia 08/03/2013, sexta-feira às 20h no Sesc Pinheiros na cidade de São Paulo. Esta conferência fez parte da abertura do projeto “Marx: A Criação Destruidora”, organizado pela editora Boitempo, com a participação de alguns dos principais pensadores brasileiros e internacionais especializados em Karl Marx. Neste evento, Žižek teorizou acontecimentos atuais ao redor do planeta e problematizou os projetos da esquerda mundial. Não deixe de conferir esta interessante intervenção de um pensador comprometido com um novo mundo para além do capital. Os vídeos em português e inglês estão disponíveis aqui.

.

(+) Acompanhe aqui uma brilhante discussão conduzida por Alysson Mascaro acerca das concepções de Estado e direito entre Kant, Hegel e Marx. Mascaro toma como ponto de partida os escritos críticos do jovem Marx acerca da teoria do direito de Hegel, mas para tanto retoma o projeto intelectual da burguesia que se formava desde Locke até Kant. Nesta apresentação, Mascaro retoma o debate acerca da justiça e do direito e o faz de forma histórica, mostrando a dependência de cada autor em relação ao contexto social em que vivia. A grande crítica por parte de Marx foi o de afirmar que o conceito de razão individual de Kant e o conceito de razão histórica de Hegel essencializavam a burguesia em ascensão e, dessa forma, ignoravam que a sociedade estava cindida em diferentes classes sociais. A burguesia desde então sempre tem oscilado entre o kantianismo e o hegelianismo. Quando alijada do poder estatal, refugia-se em Kant e brada ser o indivíduo, agora fora do poder, aquele que detém a justiça. Quando dentro do aparato estatal, refugia-se em Hegel e brada ser o Estado aquele que faz a justiça. O mérito de Marx foi o de desmontar as filosofias do direito de Kant e de Hegel ao introduzir na filosofia a ideia de classe. A justiça kantiana assentada sobre a razão individual e a justiça hegeliana assentada no Estado burguês estavam cegas para a cisão da sociedade moderna entre explorados e exploradores. Acompanhe aqui a palestra na íntegra, gravada em 2008 na PUC-SP e organizada pela editora Boitempo.

.

(+) Mario Duayer foi um dos tradutores dos Grundrisse de Marx direto do original em alemão para o português, agora publicado pela editora Boitempo. Como parte do lançamento do livro, Duayer foi convidado a discutir esta importante obra escrita entre os anos de 1857 e 1858, mas que veio a público somente no século XX. Entre os temas discutidos, Duayer colocou especial ênfase na subordinação, no pensamento de Marx nos Grundrisse, da exploração ao estranhamento social. Exploramos uns aos outros porque em primeiro lugar nos estranhamos socialmente. É a alienação como sociabilidade que permite a existência da exploração. A ontologia de Marx, portanto, não é somente uma ode ao fim da exploração, mas propriamente ao fim do estranhamento ou da alienação, ou do outro que me é externo e indiferente. Duayer aproveita também para comentar o relativismo ontológico de Thomas Khun sobre a co-existência de diferentes paradigmas, e mostra como as ideias de Marx, Lúckacs, Roy Bhaskar e Moishe Postone oferecem uma visão que contrasta com os recentes avanços de epistemologias pós-modernas. Clique aqui para ver o vídeo.

.

(+) Global Crisis: Understanding the Crisis Historically“. Os professores David Harvey (CUNY), Duncan Foley (New School for Social Research), Beverly Silver (Johns Hopkins), Immanuel Wallerstein (Yale) e o moderador Moishe Postone (University of Chicago) debateram frente a frente sobre as origens históricas da crise atual. Harvey e Foley defenderam a ideia de que a teoria marxista e a teoria da luta de classes podem ajudar grandemente na explicação da situação econômica atual. Wallerstein e Silver sustentaram a tese Braudeliana de que o cenário corrente faz parte de um longo ciclo de ajustes entre estados-nação. Postone, ao final, fez sua crítica e colou uma questão chave para a compreensão dos eventos correntes: como definir o capitalismo. O evento foi organizado pela Universidade de Chicago e contou até com Deidre McKloskey fazendo perguntas aos debatedores. Confira aqui o vídeo na íntegra do evento, gravado pelo Chicago Center for Contemporary Theory em dezembro de 2010.

.

(+) O professor Sérgio Lessa discute o capitalismo atual com base na distinção entre excedente e escassez. Lessa traça a história da humanidade como uma evolução de sistemas econômicos baseados na escassez para um modo de produção no qual o sistema de preços não mais consegue alocar de forma eficiente recursos que não são mais escassos. A eficiência do sistema de mercado e da alocação via preços serviu como forma eficiente somente equanto recursos produtivos tinham restrições de oferta em face da demanda. O mercado, porém, deixou de ser eficiente como alocador de recursos justamente porque estes recursos econômicos deixaram de ser escassos. Cabe agora repensar o nosso sistema econômico baseado na produção de excedente. Confira aqui a palestra na íntegra.

.

(+) Em novembro de 2012 o professor de filosofia Sérgio Lessa ministrou na Universidade de Brasília um curso introdutório à ontologia de György Lukács, um dos mais importantes pensadores do marxismo ocidental. Lukács contribuiu enormemente sobre temas relacionados à reificação do ser social, ao fetichismo, à dialética e ao marxismo como ontologia fundada na categoria do trabalho humano, além de ter sido capaz de elucidar muitas das relações teóricas entre Kant, Hegel e Marx antes mesmo da publicação de vários dos manuscritos de Marx que somente hoje temos acesso. Lukács, ademais escrever sobre ética e estética do ponto de vista da análise marxista, foi ele também responsável por escrever um tratado sobre ontologia desde o início da escravidão até os dias em que morreu. O professor Sérgio Lessa faz uma excelente introdução à obra máxima de Lukács, a Ontologia do Ser Social, e aproveita também para discutir assuntos correlatos. Clique aqui para ver as 5 partes da gravação completa do evento.

.

(+) “Comunismo, Um Novo Começo?” Este foi o título da conferência organizada pela editora Verso em New York em outubro de 2011, data de um ano de aniversário do Occupy Wall Street. A conferência contou com a participação de pensadores como Étienne Balibar, Slavoj Žižek e Alain Badiou, e levantou importantes questões acerca do futuro do capitalismo. Confira aqui a gravação do evento.

.

(+) Um dos atuais expoentes da teoria keynesiana no mundo é certamente Thomas Palley. Conhecedor da teoria e eloquente orador, Palley tem conquistado a atenção de economistas tanto heterodoxos quanto ortodoxos. Palley é também hoje um dos economistas heterodoxos que mais publica sobre teoria keynesiana em periódicos acadêmicos internacionais. Sua tese central é a de que o a globalização da economia mundial desde os anos 1980 representou uma radical alteração no modelo de crescimento e desenvolvimento da economia norte-americana. O antigo modelo macroeconômico pré-1980 centrado em pleno emprego, salários reajustados de acordo com a produtividade do trabalho, regulamentação financeira e de incentivos aos investimentos produtivos foi substituído no pós-1980 pelo modelo macroeconômico da globalização neoliberal com estagnação do salário real, desemprego e demanda agregada puxada por bolhas financeiras. Aproveite para conferir aqui o vídeo na íntegra de uma palestra de Thomas Palley, gravada originalmente em julho de 2009, na qual ele expõe os principais argumentos de sua tese sobre o novo modelo de crescimento econômico dos EUA.

.

(+) “O Fim do Capitalismo?” David Harvey discute os recentes desdobramentos do capitalismo mundial, e propõe alternativas. Gravado na Universidade da Pennsylvania em novembro de 2011. Mais informações sobre o evento podem ser encontradas aqui. Imperdível. Clique aqui para o vídeo completo.

.

(+) “O Método de Marx: Lógica vs. História”. Palestra com David Harvey gravada durante o congresso Historical Materialism, sediado na SOAS  em Londres entre os dias 10 e 13 de novembro de 2011. Clique aqui assistir à gravação completa do evento.

 .

(+) O economista marxista grego Yanis Varoufakis nos brinda com uma excelente explicação acerca da existência e do colapso do euro. Varoufakis se tornou recentemente um expoente no debate europeu sobre a crise grega. Excelente orador e munido com a astúcia da economia política, este jovem economista aparece agora diariamente em programas de televisão e rádio em muitos lugares da Europa e dos EUA. Clique aqui e aproveite para conhecer seus argumentos a respeito do passado, presente e futuro da Zona do Euro.

(+) “Teoria e Ideologia do Neo-Liberalismo” é o tema da excelente palestra de Anwar Shaikh, professor da New School em New York, que foi gravada em Nova Delhi no 10 de novembro de 2010. Shaikh fala sobre as teorias de comércio internacional, sobre os padrões de trocas entre países, sobre a irrealidade das teorias canônicas, sobre o “livre mercado que se auto-ajusta” como a ideologia principal do neo-liberalismo e sobre a dinâmica da competição e do monopólio na história do capitalismo recente. A palestra é realmente interessante, tanto para economistas como não-economistas. A parte em que Shaikh dedica aos padrões de comércio entre EUA e Japão é bem ilustrativa de como o hipotético auto-ajuste do balanço de pagamentos não ocorre na prática tal como a teoria afirma. Na década de 1960 os economistas diziam que os desequilíbrios externos do Japão e dos EUA eram devidos aos então existentes regimes de câmbio fixo e que os desequilíbrios seriam corrigidos se ambos os países adotassem taxas cambiais flutuantes. Entretanto, ao contrário do que se esperava, ambos os saldos comerciais de Japão e EUA não somente se tornaram muitíssimo maiores, senão que também muito mais instáveis com o fim do câmbio fixo. Os regimes de câmbio flutuante que prevaleceram no pós-1970 trouxeram mais flutuações e mais desequilíbrios externos aos dois países, e em direções opostas. O mesmo ocorrendo para a Inglaterra, Canadá, Alemanha e Austrália. Shaikh usa este exemplo histórico para evidenciar a completa falha da teoria de que o livre mercado se auto-ajusta, corrigindo quaisquer desequilíbrios comerciais. Aproveite para ver no vídeo a explicação alternativa que ele propõe para explicar os movimentos nas contas externas dos EUA nos últimos 50 anos. Clique aqui para conferir.

.

(+) Conferência de Duncan Foley sobre metodologia e economia. Uma conferência certamente excelente. Vale a pena escutar cada minuto. Foley discute o papel do formalismo matemático na economia e enfatiza que a razão que afasta a economia da realidade não é o uso abusivo da matemática, mas sim a própria teoria econômica. Foley também ressalta de forma sublime como paradigmas econômicos se tornam vencedores por conta da luta classes e não por conta da superioridade dos argumentos teóricos. Clique aqui para o vídeo.

.

(+) Recente intervenção (teach-in) do professor Richard Wolff gravada em janeiro de 2012 em Marin, nos EUA. Wolff evidencia com clareza os percalços tanto do liberalismo quanto do keynesianismo. Clique aqui para o vídeo.

.

(+) O professor Richard Wollf, em uma conferência gravada em Outubro de 2010 na New School, mostra alguns fatos interessantes sobre o porquê da falta de recuperação econômica nos EUA e como o cenário fica cada vez pior para a população norte-americana. Um dos pontos que Wolff levanta é o de que os bancos utilizaram parte do dinheiro que receberam do FED para subornarem funcionários do governo e políticos a fim de impedir quaisquer regulamentações que limitassem as margens de manobra do setor financeiro. Segundo, a dívida do Tesouro dos EUA aumentou enormemente com a compra de ativos financeiros podres dos bancos. Contudo, os banco usaram parte do dinheiro que receberam do governo para comprar títulos da dívida do próprio Tesouro! Não é de se estranhar que o desemprego aberto siga na casa dos 20%, e na casa dos 40% para os jovens. Wolff também é conhecido por não aceitar a tese de que esta é uma crise financeira. Vale a pena conferir, aqui.

.

(+) Em 2007, Giovanni Arrighi escreveu o livro “Adam Smith em Beijing” para teorizar a especificidade do capitalismo chinês. A ascensão chinesa certamente representa uma grande mudança para a ordem mundial. Ao que tudo indica, passaremos de um mundo ocidentalizado para um capitalismo com faces orientais. Arrighi defende a tese de que o crescimento da China se sustenta em pilares capitalistas, mas essencialmente distintos do que vimos até agora. Em um debate gravado em Baltimore, EUA, em março de 2008, Arrighi, Joel Andreas e Harvey se encontraram para discutir cara-a-cara o sentido do capitalismo chinês. Evidentemente, nem Harvey nem Andreas concordam com a tese de Arrighi. Argumentam estes que o crescimento chinês é sustentado por políticas essencialmente neoliberais, tão ou mais brutais do que em outras economia capitalista. O debate é realmente excelente e merece ser visto na íntegra, aqui.

.

(+) Confira aqui uma palestra proferida por David Harvey com a sua interpretação sobre o método em Marx e suas implicações. Esta palestra ocorreu em outubro de 2010 na University of California – Berkeley, e contém uma apresentação do método marxista, de suas limitações científicas e das formas de práticas sociais que suscita.

 

.

(+) O professor David Harvey mostra como falhas não se restringem somente ao mundo prático do recente fiasco econômico. Falhas são também fiascos teóricos sobre como explicar as causas da crise e de como solucioná-la. Confira aqui uma fala de Harvey acompanhada de uma excelente e bem-humorada animação que mostra como uma explicação marxista para a crise se diferencia de outras explicações mais comum e ingenuamente divulgadas. É também interessante notar como a explicação de Harvey cada vez mais se assemelha à explicação de Richard Wolff, a qual já foi tema de um post anterior no Marx21.

.

(+) O “significado da caridade no capitalismo” é o tema central de uma palestra realizada por Zizek em novembro de 2009. Com o título de “Primeiro como Tragédia, Depois como Farsa”, a fala de Zizek oferece uma abordagem mais crítica sobre o significado e sobre os resultados  sociais dos chamados atos de caridade, agora mais comuns do que nunca no capitalismo.

 

.

(+) Assista aqui ao vídeo da recente palestra proferida por John Bracey sobre a história e o futuro do Haiti. A palestra é muito esclarecedora e repleta de fatos históricos que contradizem as afirmações advindas de países ricos e da grande mídia. Bracey mostra como a única legítima revolução de escravos das Américas recebeu o desprezo de todos os outros países. Não só desprezo, mas pricnipalmente sanções econômicas, golpes e invasões militares. Bracey também mostra como a famosa dialética do senhor e do escravo de Hegel, presente na sua Fenomenologia do Espírito, foi inspirada justamente na revolta dos escravos em Santo Domingo! A idéia central da palestra é mostrar como tanto o Haiti como Santo Domingo, apesar de totalmente isolados e ignorados por países mais desenvolvidos, foram centrais para a acumulação primitiva da Europa e dos EUA.

.

(+) Confira aqui o vídeo do último debate que marcou o encontro Left Forum 2010, na Pace University em New York em 21 de março. Os palestrantes são: Francis Fox Piven, Brian Jones, Arundhati Roy e Noam Chomsky. Com o título de “The Center Cannot Hold: Rekindling the Radical Imagination“, o Left Forum ofereceu uma grande oportunidade para discussões sobre o socialismo do século XIX.

.

(+) O professor Lance Taylor, da New School University e ex-MIT, é um dos mais reconhecidos keynesianos da atulidade. Confira aqui uma palestra em que ele apresenta uma introdução aos princípios básicos da teoria keynesiana e como ela pode ser usada para explicar a recente crise econômica mundial.

.

(+) Em 17 de março de 2009, Noam Chomsky foi palestrante na Boston University sobre a atual forma de imperialismo norte-americano. Chomsky defende a tese de que os EUA sempre foram, desde sua origem, uma nação voltada ao imperialismo e à expansão territorial. Sua atual fase é nada menos do que a realização do projeto de seus fundadores. O discurso de Chomsky é simplesmente excelente e rico em detalhes e conexões.Clique aqui para ler o artigo completo (em inglês)Clique aqui para assistir ao vídeo (em inglês).

.

(+) O vice-presidente da Bolívia, Alvaro Garcia Linera, é notório marxista e político. Recentemente foi palestrante sobre o tema “Marxismo e Indigenismo” na Universidade de Cornell, nos EUA. Alvaro foi eleito juntamente com Evo Morales, o primeiro presidente identificado como representante indígena na Bolívia. Clique para ver o vídeo.

.

(+) O seminário A Evolução do Pensamento Econômico e sua Influência na Teoria Econômica Moderna: Marxistas x Neoliberais opõe intelectuais da corrente marxista, como a professora Leda Paulani, docente do Departamento de Economia da FEA-USP, e da corrente neoliberal, como o Dr. Roberto Fendt Jr., vice presidente do Instituto Liberal e ex professor da FEA-USP. A mesa é presidida pelo chefe do Departamento de Economia, professor Joaquim Guilhoto. Confira aqui o vídeo deste interessante debate, em duas partes: [Parte 1] + [Parte 2]

.

(+) Is Marxism Relevant Today? Este é o título do painel que reuniu Duncan Foley, David Harvey e Prabhat Patnaik, tendo Sanjay Reddy como moderador. Confira aqui o excelente debate que ocorreu na Columbia University em 11 de março de 2009.

.

(+) Palestra do Prof. Anwar Shaikh, da New School for Social Research, no Left Forum 2009 em New York,  cujo tema foi uma interpretação marxista das flutuações econômicas do capitalismo. Clique aqui para o vídeo.

.

(+) David Harvey, um dos melhores teóricos marxistas da atualidade, expõe sua visão sobre as causas da crise do neoliberalismo. Harvey, acertadamente, critica tantos as propostas neoliberais como também as propostas de cunho keynesiano, ambos definidos como projetos de classes. Suas bases teóriccas apontam diretamente para as idéias centrais de Marx quanto à natureza da necessária e permanete acumulação de capital. A palestra é excelente. Clique aqui para o vídeo.

.

(+) O jornalista, escritor e ganhador do prêmio Pulitzer Chris Hedges apresentou as idéias de seu último livro, cujo título é “Empire of Illusion: The End of Literacy and the Triumph of Spectacle”, em uma conferência na New School University em New York. Hedges apresenta uma crítica da sociedade norte-americana atual e o oceano de ilusões que criou e que contraditoriamente opera em direção a sua decadência. A conferência é de fato bem interessante e mostra a crítica do capitalismo do ponto de vista de um cidadão norte-americano que também conhecem bem a realidade das guerras produzidas por seu pŕoprio país, já que ele mesmo foi correspondente direto em várias delas. Clique aqui para assistir ao vídeo da palestra. Se vocês ainda tiverem mais curiosidade de saber o que Chris Hedges pensa sobre as invasões dos EUA no Oriente Médio, clique aqui para assistir ao vídeo de uma outra palestra, cujo conteúdo foi discutir outro livro de sua autoria, “Collateral Damage: America’s War Against Iraqi Civilians”.

.

(+) A revista Carta Maior organizou no começo de março de 2009 o Seminario Internacional sobre Desenvolvimento, que contou com a presença, dentre outros, de Maria Conceição Tavares, Márcio Pochmann, Jeffrey Sachs, Octávio de Barros, Jan Kregel, Dimla Rousseff, Luciano Coutinho, James Galbraith, Luis Fernando de Paula, Robert Guttmann, Otaviano Canuto, José Luis Oureiro etc. Clique aqui para acessar os vídeos das conferências e das entrevistas com os participantes do encontro.

.

(+) “Quando o Capitalismo Bate no Ventilador”. Conferência ministrada por Richard Wolff (professor do Departamento de Economia da University of Massachusetts at Amherst) sobre a crise financeira que começou em 2008 com os títulos sub-prime nos EUA. Local: Departamento de Economia da University of Massachusetts at Amherst, MA, USA. Data: 08/Outubro/2008. Vídeo completo aqui.

.

(+) “Why the World Isn’t Flat?” Conferência de Ha-Joon Chang, professor da Cambridge University, sobre o desenvolvimento desiqual entre países no mundo. Vídeo completo aqui.

.

(+) Em uma conferência realizada no MIT (Massachusetts Institute of Technology) em 18 de Setembro de 2000, Paul Samuelson, Robert Solow e Franco Modigliani – três recipientes do prêmio Nobel em economia – discutem o passado e o futuro da economia dos EUA. Clique aqui para ver o vídeo da conferência.

.

.

.

.

Cursos

.

(+) “16 Teses Filosófica de Economia Política”. Acompanhe aqui o curso de introdução à economia política em 16 aulas ministrado pelo filósofo marxista Enrique Dussel. Dussel é profundo conhecedor dos escritos originais de Marx em alemão, já que participa do projeto MEGA, o que lhe garante acesso a manuscritos não traduzidos que ainda permanecem desconhecidos pelo grande público. Além de filósofo, também se envereda pelas categorias da economia política a fim de resgatar seus sentidos originais bem como adaptá-las ao contexto histórico do século XXI. Apesar de introdutório, este curso conta com algumas teses avançadas que derivam da leitura própria que Dussel tem desenvolvido ao longo das últimas décadas. Interessante é sem dúvida alguma a discussão profunda que se faz de cada categoria no sistema teórico marxista. A análise pormenorizada de Dussel também revela algumas das inconsistências de outras leituras muito difundidas sobre Marx, entre elas as de Hardt, Negri e a dos teóricos da dependência na América Latina. Clique aqui para assistir às 16 aulas do curso.

. .

(+) Acompanhe aqui a vídeo-aula em duas partes com a professora Leda Paulani sobre as crises do capitalismo. Leda usa a teoria econômica marxista para salientar a ideia de que as crises são parte integrante da acumulação de capital: “A crise é a irmã siamesa da acumulação, pois serve para queimar capital em excesso, queima o capital em excesso da sobre-acumulação. A crise é, portanto, a expressão e a solução do problema”. As crises de acumulação, enfatiza Leda, não são crises de falta de dinheiro, senão justamente o contrário: as crises são a consequência do excesso de acumulação de capital. E a sobre-acumulação de capital se faz presente como sobre-acumulação de mercadorias tanto quanto como sobre-acumulação de ativos financeiros.

.

(+) Nesta vídeo-aula em três partes, o professor Luiz Gonzaga Belluzzo fala sobre as origens e a natureza da crise mundial. Como sempre, o professor explica os eventos correntes com uma perspectiva histórica e expõe o fim de um paradigma econômico de forma simples e direta. Belluzzo é doutor em economia e professor aposentado do Instituto de Economia da Unicamp, foi secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda (1985-1987).

..

(+) Confira aqui a série completa de 57 vídeos do curso do professor Stephen Resnick sobre teoria econômica marxista e sobre o capitalismo contemporâneo nos Estados Unidos. Os vídeos fazem parte de um curso introdutório à teoria marxista para alunos de graduação na University of Massachusetts at Amherst. Resnick introduz os estudantes ao marxismo por meio de uma interpretação original que ele desenvolveu em parceria com o professor Richard Wolff ao longo das últimas três décadas. Tal interpretação, conhecida como marxismo pós-moderno, combina elementos dos escritos originais de Marx e Engels com o pós-modernismo filosófico de Althusser, Foucault e Rorty. A teoria marxista que Resnick propõe coloca os temas de classe e dialética no cerne da explicação sobre o capitalismo contemporâneo. As vídeo-aulas do curso abordam tópicos como: teorização das classes sociais não como grupos de indivíduos mas sim como processos de produção e distribuição da mais-valia; análise das relações entre processos de classe e não-classe através do conceito de sobre-determinação (overdetermination); fundamentos epistemológicos do marxismo, incluindo a discussão sobre empiricismo, racionalismo e dialética; aplicação dos conceitos marxistas para explicar a dinâmica do capitalismo nos EUA nos últimos 40 anos. Abaixo você pode conferir a gravação contínua (ou playlist) das 57 vídeo-aulas que compõem o curso Econ305 – Marxian Economics, que Resnick ministrou nos últimos 30 anos na University of Massachusetts at Amherst:

.

(+) Acompanhe aqui na íntegra o curso intensivo em teoria econômica marxista ministrado pelo professor Richard Wolff. As aulas foram preparadas para aqueles que querem conhecer ou se aprofundar um pouco mais sobre o marxismo. Os temas das aulas abordam a teoria do valor trabalho, a teoria do mais-valor, as teoria do lucro, a acumulação de capital, os circuitos do capital, as relações entre os capitais industrial, financeiro e comercial, bem como as diferenças entre as estruturas de classe do capitalismo, feudalismo e escravidão. A proposta principal é discutir a teoria marxista em sua integridade, incluindo críticas a ela, e também discutir sobre como aplicar a teoria para os assuntos do dia da economia mundial. Clique aqui para assistir às video-aulas.

.

(+) “Reading Capital with David Harvey”. O Professor David Harvey, da CUNY, disponibiliza online os 13 vídeos de seu curso sobre o Volume I de O Capital. Confira aqui.

.

(+) Curso de metodologia da economia com a professora Ana Maria Bianchi. As vídeo-aulas fazem parte do curso ministrado para alunos de graduação da USP durante o primeiro semestre de 2013. O curso aborda textos clássicos sobre epistemologia e método nas ciências sociais, entre os quais os escritos de Popper, Lakatos, Khun, Mill, Friedman. Clique aqui para assistir às video-aulas ou aqui para a lista completa das gravações.

.

(+) A Universidade de Yale nos EUA criou um site para disponibilizar de forma online e gratuita todo o conteúdo de vários de seus cursos, em distintas áreas do conhecimento. O material inclui os vídeos das aulas, os áudios, os programas das disciplinas, a transcrição das aulas e também os slides utilizados pelo professor. Na parte de economia destaca-se o curso do professor Robert Shiller sobre mercados financeiros.

Clique aqui para ir ao site principal do Open Yale Courses.
Clique aqui para ir ao site do curso do professor Robert Shiller.
Clique aqui para ver todo o material e os véideos do curso de Shiller sobre mercados financeiros.

.

.

.

..

Entrevistas

.

(+) O esgotamento do ciclo neoliberal certamente tem seu aspecto econômico. Milhões de empregos e o próprio estado de bem-estar social são imediatamente sacrificados para salvar os lucros do sistema financeiro e de outras empresas privadas. Esta dimensão econômica, entretanto, vem acompanhada do concomitante esgotamento do sistema político de representação parlamentar. A representação indireta via partidos políticos e a eleição de congressistas não dá mais conta dos desafios do nosso tempo. Com o atual sistema político a população não tem como forçar as reformas e regulações que deseja. Temos o melhor congresso que o dinheiro das grandes corporações privadas pode comprar. Ainda assim, a forma parlamentar, já esgotada, continuará a existir durantes as próximas décadas. A batalha agora torna-se aquela pela implementação de formas de democracia direta, através das quais a população tenha  a força política necessária para implementar as reformas que deseja. Inicia-se com a presente crise econômica e política o desafio de construirmos as bases para a superação do parlamento, dos congressistas e da ingovernabilidade dos partidos políticos. Acompanhe aqui a análise de Vladimir Safatle.

.

(+) Jurista Alysson Mascaro explica seu novo livro, Estado e Forma Política. Em virtude do IV Curso Livre de Marx/Engels, intelectuais e estudiosos discutiram a obra e legado marxistas. O evento foi realizado pela Boitempo Editorial, no Sesc Pinheiros, com a intenção de levantar questões sobre a atualidade do alemão Karl Marx. No interim do evento, a Carta Maior entrevistou os professores convidados para trazer à tona pontos que o pensamento de Marx suscitou na análise da economia política, democracia, luta de classes e direito hoje. Alysson Mascaro é jurista e professor do Mackenzie e da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco da USP, por esta livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito. Seu último livro, o elogiado “Estado e Forma Política”, trata sobre o imbricamento entre Estado e formas sociais, gravitando não ao redor de instituições, mas sim de expressões da economia política. Nesta entrevista, o jurista traz a necessidade de se investigar o Estado não como instituição a serviço da sociedade, mas a partir de seu funcionamento nela – como diz Mascaro, “entender o Estado para além dele, além de sua ideologia”. Quando perguntado sobre se a Constituição de 1988 seria o real projeto da esquerda política hoje, como afirmou o cientista político André Singer, Alysson Mascaro faz ressalvas e ressalta o caráter revolucionário de uma efetiva crítica social do Estado.

.

(+) “Jacob Gorender – A Esquerda Revelada”. Entrevista com Jacob Gorender sobre a história do Partido Comunista do Brasil, gravada pela TV Câmara. Acompanhe aqui esta excelente entrevista com o militante, intelectual e referência do marxismo no Brasil.

.

(+) O Roda Viva recebeu, no dia 3 de setembro de 2012, Ricardo Antunes, um dos mais destacados sociólogos marxistas da atualidade, cujos estudos se direcionam para o tema trabalho e suas novas formas de relação dentro do mundo capitalista contemporâneo. Com as mudanças relativamente recentes no sistema de trabalho, que vão desde a terceirização de serviços, o aumento na procura pelos concursos públicos, a contratação de PJs, o trabalho por tarefa até o uso de celulares e e-mails no trabalho, Ricardo analisou as transformações ocorridas nesse universo e as consequentes implicações nos planos social e político. Clique aqui para o vídeo completo.

 

.

(+) O professor emérito da USP Chico de Oliveira falou de política, economia mundial e eleições no Brasil no centro do programa Roda Viva no dia 2 de julho de 2012. Um dos fundadores do PT, Chico de Oliveira abandonou o partido em 2003. Fez parte do grupo de dissidentes que ajudou a criar o PSOL, com o qual também viria a romper. Autor de diversos livros, foi premiado com um Jabuti em 2004, pela obra Crítica a Razão Dualista – O Ornitorrinco. Para o professor, “O ornitorrinco é um fracasso de Darwin” e por isso pode ser comparado ao Brasil, que alcançou a modernidade, porém ainda vive em atraso – “uma necessidade de como o país foi formado”. Contextualizando o Brasil no cenário mundial, o professor traçou uma interessante análise da situação atual do nosso país e dos possíveis rumos nos anos a frente. Veja aqui esta excelente entrevista na íntegra.

.

(+) Paul Singer é o Secretário Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego. Doutor em Sociologia, ele completou 80 anos como um dos principais estudiosos nas áreas de trabalho e emprego, desenvolvimento econômico e, sobretudo, economia solidária. Foi professor da Universidade de São Paulo (USP), é um dos fundadores do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e atuou como secretário de Planejamento do município de São Paulo entre 1989 e 1992. No centro do Roda Viva, Singer falou sobre capitalismo e comunismo e deu um panorama do emprego e desemprego no governo da presidente Dilma Rousseff. O programa foi ao ar no dia 23 de abril de 2012. Clique aqui para o vídeo.

.

(+) Entrevista com o professor Belluzzo sobre a história e os caminhos da economia mundial, e como a economia brasileira tem se inserido no capitalismo atual. Gravada no dia 9 de janeiro de 2012 e comandada pelo Luis Nassif, o vídeo completo da entrevista está aqui.

.

(+) O mundo realmente está mudando. Na semana passada os professores marxistas Richard Wolff e David Harvey foram convidados a discutir capitalismo e socialismo no principal canal de TV aberta dos EUA. O evento se deu no programa de entrevistas de Charlie Rose, um dos âncoras da PBS norte-americana. A PBS é um canal aberto e de amplo público que agora resolveu entrar na discussão sobre o futuro econômico dos EUA. O tema do debate ficou em torno dos desdobramentos da crise, tópico este que ainda esbarra em relações de poder e tabus que impedem uma discussão aprofundada sobre as assimetrias na produção e distribuição da riqueza social. Harvey enfatizou aspectos geográficos da luta contra o sistema enquanto que Wolff procurou situar a questão no que ocorre dentro das empresas. Não deixe de conferir aqui o vídeo na íntegra. Clique aqui para assistir à entrevista com Wolff e Harvey no programa de Charlie Rose.

.

(+) Neste post coloquei uma excelente conferência de Noam Chomsky a respeito das revoltas árabes e imperialismo. Chomsky realmente é uma figura impressionante, com uma capacidade inigualável de reter informações e dados sobre vários países no mundo. Suas análises são sempre bem ponderadas, direto à raíz dos problemas e recheadas de detalhes que muitos desconhecem. Agora disponibilizo outro vídeo, com uma entrevista sobre o mesmo tema para a BBC de Londres. Como sempre, Chomsky mostra como o discurso dos países imperialistas se inverte na prática. Realmente muito interessante. Clique aqui para ver o vídeo da entrevista.

.

(+) Confira aqui a entrevista de Zizek à GloboNews, gravada em fevereiro de 2011. A entrevista gira em torno de temas como imperialismo, islamismo, ideologia, capitalismo e terrorismo, e é realmente interessante. Não deixe de assistir: [Parte 1] + [Parte 2]

.

(+) A grande economista Maria da Conceição Tavares foi entrevistada no programa Agenda Econômica da TV Senado. O tema principal da conversa foi a atual guerra cambial inaugurada pelos EUA com o anúncio da liberação de mais de 600 bilhões de dólares para o setor financeiro. O cenário que se forma parece em muito com o da década de 1920, quando as chamadas desvalorizações competitivas levaram a uma deterioração das relações diplomáticas entre os países mais ricos. A situação é economicamente preocupante e revela a falta de coordenação internacional das políticas monetárias e cambiais. Conceição Tavares também aproveita para dar suas importantes opiniões acerca dos rumos da economia brasileira e da economia mundial. Confira aqui o vídeo da entrevista completa.

 

.

(+) Harold Hudson entrevista o professor Edward Wolff em seu programa “Conversations”. Originalmente aluno de Wassily Leontieff em Harvard, Wolff é hoje um dos melhores especialistas no mundo em distribuição de renda, desigualdade, e matrizes insumo-produto. Wolff também contribuiu enormemente para transformar as contas nacionais em categorias marxistas. Nesta interessante entrevista gravada em março de 2000, o professor discute a trajetória histórica da distribuição de renda entre trabalho e capital nos EUA.

 .

(+) Jon Stewart é o âncora de um dos programas mais influentes na mídia norte-americana, o Daily Show. Recentemente, Jon foi aclamado como umas das personalidades que mais influenciam a opinião pública nos EUA. Seu programa de humor faz críticas contundentes e inteligentes à sociedade norte-americana. Por incrível que pareça, um de seus  convidados em 2007 foi Evo Morales, líder indígena eleito presidente da Bolívia. O incrível é Evo ser considerado parte do “eixo do mal” e ser convidado a um programa com recorde nacional de audiência. A rápida entrevista girou em torno de temas como reforma agrária e aquecimento global. Clique aqui para ver o vídeo da entrevista de Evo

.

(+) Qual o sentido de fazer ciência econômica? Este é o tema central de uma excelente, repito excelente, entrevista com o economista chileno Manfred Max-Neef. Manfred é professor na Universidade da Califórinia em Berkley e crítico contumaz do atual estado da economia mundial e do estado atual da ciência econômica. Nesta interessantíssima entrevista ele revela como diversos economistas fazem “ciência” dentro de suas confortáveis salas, bem afastados dos seus objetos de estudo. E discute como a ciência econômica é inútil para resolver os problemas mais básicos da humanidade, como a redução da pobreza e da desigualdade. Ademais, Manfred mostra como a ciência econômica deixou de ser uma ciência subordinada à política para passar a ser a subordinadora da política e do meio-ambiente. Por fim, encerra com o tema do fetichismo do crescimento e de como crescimento econômico se diferencia de desenvolvimento. Não deixe de conferir aqui o vídeo da entrevista completa. Clique aqui para ver a entrevista completa com Manfred Max-Neef no DemocracyNow.

.

(+) O grande teórico marxista David Harvey foi entrevistado em maio de 2010 no programa HardTalk da BBC londrina. Harvey comenta a crise econômica mundial e os problemas inerentes ao capitalismo em escala mundial. A entrevista gira em torno a temas como economia, crescimento, desenvolvimento, degradação ambiental, socialismo vs. capitalismo e formas de mobilização social. Não deixe de assistir a esta interessante entrevista com uma das pessoas que mais tem influenciado a esquerda no mundo. Veja aqui a entrevista em 3 partes.

.

(+) Em uma entrevista ao DemocracyNow, o editor da revista Harper’s Magazine apresenta argumentos interessates sobre como a compra de um volume sem precedentes de posições longas nos mercados futuros pode explicar o aumento recorde no preço internacional dos grãos. O custo direto foi o ingresso adicional de 250 milhões de indivíduos na listas de famintos no mundo, que agora já chega ao montante total de mais de 1 bilhão. Clique aqui para ver a entrevista completa.

..

(+) Os Estados Unidos têm um poder militar assimétrico na geopolítica internacional. Com somente 5% da população mundial e com 20% da economia mundial, os EUA atualmente são responsáveis por 50% dos gastos mundiais com as forças armadas governamentais. O crescente contigente no Afegasnistão e no Paquistão suscitam, de imediato, uma questão: quem são os soldados que são mandados para a guerra? Investigações apontam que o perfil do novo recruta é negro, latino ou latino negro, preferencialmente pobre e com baixa probabilidade de encontrar emprego. Imigrantes também são recebidos de portas abertas. O exército deliberadamente faz campanha para recrutar novos soldados com tais perfis dentro de escolas, universidades e praças públicas, sempre afirmando que o exército lhes financiará seus estudos ou mesmo que as forças armadas são uma ótima opção de trabalho. Confira aqui o curto documentário preparado pelo DemocracyNow.

.

(+) O presidente venezuelano Hugo Chavez foi entrevistado em 2010 por Kennedy Alencar no programa É Notícia da RedeTV. A discussão é interessante e foca em pontos bem polêmicos do controverso governo chavista, tais como excessiva centralização do poder, sucessivas reeleições, graves problemas de oferta energética, suposta falta de democracia política, intervenção do Estado na economia, relações com os EUA, com Cuba, com a Colômbia e com o Brasil, liberdade de imprensa e outras coisas mais. Assista aqui à entrevista completa.

.

(+) A grande economista, ativista política e pensadora Maria da Conceição Tavares completa 80 anos na ativa e, em uma excelente entrevista, expõe suas importantes opiniões sobre o passado, presente e futuro da formação econômica e política do Brasil. Não deixe de conferir! Clique aqui para ver a entrevista pelo GloboNews

.

(+) O professor Jerry Epstein explica a atual situação econômica e política dos EUA no pós-crise. A entrevista toca em pontos importantes, como correlação de forças no governo, geopolítica internacional, hegemonia do dólar e metódos para a recuperação da economia. Vídeo disponível aqui.

.

(+) Em entrevista a Bill Moyers pela rede norte-americana PBS, James Kwak and Simon Johnson explicam como o setor financeiro dos EUA tornou-se ainda mais oligárquico depois da crise de 2008 e como os bancos norte-americanos se tornaram ainda maiores e com mais capacidade de lobby sobre o congresso dos EUA, principalmente  a fim de evitar maiores regulações. A entrevista é bem interessante e resume os argumentos que aparecem no livro “13 Bankers”. Confira: [Parte 1]  +  [Parte 2]

.

(+) Muitas das recentes tentativas de resolver o problema do aquecimento global giram em torno do chamado “mercado de carbono” e dos “direitos e limites de emissão de CO2”. O professor James Boyce, em uma interessante entrevista, explica com clareza quais são os modelos (leilões, permissões, limites, compensações etc.) que estão em jogo e quais são os efeitos produtivos e redistributivos que cada um deles gera para a sociedade. Clique aqui para a entrevista completa.

.

(+) O líder do MST João Pedro Stédile foi entrevistado em dezembro de 2009 no programa “É Notícia” da RedeTV. O tema central foi a reforma agrária no Brasil e como sua eficácia foi alterada durante o governo Lula. Stédile rebate várias acusações e ainda aproveita para criticar a grande imprensa brasileira e o modelo de agronegócio que beneficia tanto latifundiários quanto  monopólios internacionais. A crítica ao modelo do agronegócio e a defesa da agricultura familiar significam também, afirma Stédile, a rejeição da monocultura e a rejeição do uso intensivo de agrotóxicos na agricultura. Neste caso “agricultura familiar” não deve ser definida quanto ao tamanho ou ao vulume de produção da propriedade, mas sim com o modelo de produção: multicultura sem agrotóxicos. Confira aqui essa ótima entrevista, em três partes.

.

(+) Luis Carlos Prestes foi um grande político brasileiro. Comunista, tenente, senador da República após o fim do Estado Novo de Vargas, secretário geral do PCB, membro da Assembléia Constituinte de 1946, líder da coluna Miguel Costa-Prestes, membro da comissão executiva da Internacional Comunista, presidente de honra da ANL (Aliança Nacional Libertadora), anti-varguista, organizador da Intentona Comunista, exilado do Brasil na União Soviética, preso por 9 anos e apelidado de “Cavaleiro da Esperança” por Jorge Amado. Confira aqui a excelente entrevista de Prestes no programa Roda Vida em 1986, após o fim da última ditadura militar.

.

(+) Para aqueles que queiram saber um pouco mais sobre a vida de Prestes, vejam aqui o documentário da TV Cultura com a participação de Anita Leocádia Prestes, filha de Prestes com Olga e que nasceu no campo de concentração nazista de Ravensbrück. Olga morreu 14 meses depois em uma câmara de gás.

.

(+) A rede de televisão BBC de Londres produz um ótimo programa de entrevistas com o título de “Hard Talk”, cujo entrevistador é Stephen Sackur. Nesta entrevista, Noam Chomsky, renomado professor do MIT e reconhecido por suas críticas contra o sistema capitalista, responde às provocações do entrevistador. A conversa é excelente e Chomsky é muito hábil em suas respostas. Confira as três partes deste programa aqui.

.

(+) Confira aqui a entrevista com Arundhati Roy sobre a recente situação econômica e política da Índia, com destaques para questões pertientes ao Iraque, Kashemira, Paquistão e Afeganistão. Roy analisa o estado de “democracia” que hoje reina em seu país, enfatizando assuntos de abertura comercial e financeira, surgimento de grandes grupos empresariais nacionais e estrangeiros, repressão à liberdade de expressão, “terrorismo”, crescimento econômico com desiqualdade, e conexões suspeitas entre grupos empresariais e funcionários do Governo central. Clique aqui para saber quem é Arundhati RoyClique aqui para ver a entrevista.

.

(+) O professor Vladimir Safatle, do departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo, comenta sobre o seu mais recente petardo: Cinismo e a Falência da Crítica (2008), pela editora Boitempo. Partindo de Hegel, Lacan e Adorno, Safatle articula uma teoria da socialização que tematiza o cinismo como o modo de operação da ideologia nas sociedades contemporâneas. Os três blocos da entrevista estão aqui.

.

(+) Entrevista com Slavoj Zizek no programa Roda Vida. Vídeo na íntegra aqui.

.

(+) Em 1996 o professor Noam Chomsky foi entrevistado no programa Roda Viva da TV Cultura. Sempre provocador e muito inteligente, Chomsky falou sobre capitalismo, imperialismo e socialismo no mundo afora. Especialista em linguagem, comunicação e mídia, o professor do MIT não poupou críticas à falta de democracia nas estruturas hierárquicas das corporações privadas e do estado na atualidade. Com referências diretas ao Brasil e à América Latina, afirmou ser a Guerra Fria não um conflito entre EUA e Rússia mas sim um conflito entre Norte e Sul. O império soviético foi somente uma desculpa ideológica temporária, assim como se faz hoje com o islã, para que os ricos pudessem declarar uma guerra econômica contra os pobres. Não deixe de conferir aqui na íntegra esta interessante entrevista.

.

(+) Amy Goodman entrevista David Harvey na rede DemocracyNow sobre a crise nos EUA: [Parte 1] + [Parte 2] + [Parte 3]

.

(+) A Esquerda na América Latina. Entrevistas com diversos pensadores brasileiros (Chico de Oliveira, Emir Sader, Demétrio Magnoli etc.) sobre diagnósticos a respeito das trajetórias passada e futura da esquerda na América Latina: [Parte 1] + [Parte 2]

.

(+) “Hegel and Marx”. Entrevista com o filósofo Peter Singer sobre a filosofia Hegeliana e sua conexão com o marxismo:

[Parte 1] + [Parte 2] + [Parte 3] + [Parte 4] + [Parte 5]

.

.

.

Humor

.

(+) Quadro humorístico de Marcelo Adnet na MTV sobre o comportamento das elites em relação à eleição da Dilma Rousseff para a presidência da República. Aqui.

.

(+) Episódio do South Park sobre a crise econômica nos EUA. Clique aqui para ver o vídeo.

.

(+) “The Last Laugh with John Bird & John Fortune”. Programa humorístico inglês sobre a crise do subprime. Aqui.

.

(+) O discurso mais esclarecedor de George W. Bush sobre as causas da crise financeira nos EUA. Aqui.

.

(+) Futebol Filosófico. Aqui.

.

(+) Mouseland – A Terra dos Ratos. Aqui.

.

(+) Manifestoon: O manisfesto comunista em formato de desenho animado da Disney. Aqui.

.

.

.

.

Música

.

(+) O Samba da Mais-Valia. Aqui.

.

(+) I Read Some Marx (And Liked It). Aqui.

.

(+) “Fear the Boom and Bust”: Hayek vs. Keynes Rap. Aqui.

.

(+) “Fight of the Century”: Keynes vs. Hayek Round Two. Aqui.

.

.

.

.

Miscelânea

.

(+) Direito de resposta de Leonel Brizola durante o Jornal Nacional da Globo, em 15 de Março de 1994. Aqui.

.

(+) Debate entre Lula e Collor no segundo turno da campanha presidencial em 1989. Acompanhe aqui o debate completo, sem edições. Lembremos que este não foi transmitido ao vivo. Para ver o Boni, funcionário da Globo, confessando que o debate que foi ao ar foi de fato uma edição que favorecia o candidato Collor, clique aqui e aqui também. Mais sobre a fatídica edição aqui.

.

(+) EUA e o golpe militar de 1964 no Brasil. Ouça aqui a conversa entre o presidente Lyndon Johnson e George Ball.

.

(+) Documentário da Rede Globo exaltando o golpe militar de 1964, produzido em 1975 com narração de Cid Moreira. Clique aqui para assistir.

.

.

.

.

.

.

.

.

  1. 4 January, 2012 at 13:36

    Caro Tomas, Parabéns pela excelente coleção. Estou disponibilizando no meu Blog (http://inclusaoecognicao.wordpress.com/) um link com comentário para seu site. No inclusão e cognição abordamos questões ligadas à inclusão, tecnologias e mediação.
    Abraços,
    Barbara

    • 4 January, 2012 at 15:57

      Cara Barbara,

      Obrigado pela menção. O seu blog também é bem interessante. Lhe desejo muita sorte com seu projeto de inclusão digital.

      abraços,
      Tomas

  2. leticia
    16 October, 2013 at 13:56

    obrigado . o seu blog é bn intereçante

  1. No trackbacks yet.
Comments are closed.