Política e Estrutura de Classe no Brasil Pós-1988

4 June, 2013 2 comments

Quais classes sociais representa o governo do PT? Ainda que o lulismo seguramente represente interesses específicos, a estrutura de classe no Brasil e as políticas a ela associadas certamente não são fáceis de compreender. Em recente debate entre Armando Boito e André Singer para a IX Semana de Ciências Sociais da USP, o tema foi abordado e discutido de maneira profunda. Boito teoriza o lulismo no Brasil como uma frente política neo-desenvolvimentista que organizou conjuntamente os trabalhadores marginalizados com a grande burguesia produtiva interna que vinha se desprendendo das políticas neo-liberais da era Collor-Itamar-FHC. Singer entende o PT como um governo que arbitra entre classes com o trunfo de liderar o sub-proletariado. Ambos debatedores aproveitam para analisar os anos democráticos de 1980 bem como os governos neoliberais dos anos 1990, situando o lulismo como uma vitória parcial dos trabalhadores em meio a um fluxo histórico neoliberal. Para Singer, por exemplo, o conservadorismo brasileiro está em nossa história de continuidades sem rupturas, na qual a mudança vem sempre comandada pelos de cima. A década de 1980 e os movimentos de massa, de maneira inédita, romperam com essa tradição conservadora ao organizarem transformações de baixo para cima. Singer e Boito apresentam suas teorias de classe no Brasil para então responderem à questão central de quais interesses estão representados no Partido dos Trabalhadores. Um debate de excelente qualidade. Aproveito para aqui fazer um resumo dos principais argumentos levantados.

Read more…

A Batalha de Argel e o Colonialismo Francês

28 May, 2013 Leave a comment

A Batalha de Argel é a grande obra do diretor italiano Gillo Pontecorvo que documenta a luta dos rebeldes muçulmanos pela libertação da Argélia da colonização francesa. A trama se passa na capital Argel durante a guerra de independência que durou de 1954 a 1962, quando finalmente as tropas da França deixaram a região no norte da África. Pontecorvo foca nos anos entre 1954 e 1957, período no qual o movimento independentista ganhou força no bairro Casbah através das táticas de guerrilha urbana da Frente de Libertação Nacional (FLN), então reprimida fortemente pelos paramilitares franceses. Ainda que tenha sido derrotado, o movimento urbano desencadearia uma onda de conscientização e radicalização popular que levaria aos grandes confrontos de 1961 e posterior derrota do colonialismo francês em 1962. Um dos filmes mais influente de todos os tempos, A Batalha de Argel é um clássico do cinema crítico que imortalizou a subversão urbana contra o colonialismo europeu.

Read more…

Por Que os Livros-Texto São Tão Caros? E o Que Fazer Sobre Isso

22 May, 2013 Leave a comment

Todo estudante de graduação se pergunta por que os livros-texto escolhidos pelos professores são tão caros. O problema persiste até mesmo na pós-graduação. Os dados sobre inflação de preços ao consumidor final revelam uma realidade assustadora. No caso dos EUA, a inflação do preços de livros-texto foi de 820% de 1978 a 2012, muito acima dos 250% de aumento registrado no índice geral de preços ao consumidor. Os alunos têm, portanto, plena razão ao reclamar pelo que pagam para estudar. Para se ter uma ideia do que vem ocorrendo, a tão falada bolha no mercado imobiliário dos EUA resultou em um aumento de preços na ordem de 325% para novas moradias. A “bolha” no mercado de livros-texto foi, portanto, quase três vezes maior.

Read more…

Sobre os Recentes Desabamentos em Bangladesh

20 May, 2013 1 comment

A grande mídia relatou mundo afora o recente desabamento de uma grande fábrica de roupas em Bangladesh. Me refiro ao edifício Rana Plaza localizado nas cercanias de Dhaka. Com mais de mil mortos e dois mil hospitalizados desde o 24 de abril, este colapso foi o pior na história da manufatura de Bangladesh. A grande mídia foi também rápida em encontrar no governo e na corrupção o culpado pela tragédia. Com a rapidez acrítica que lhes caracteriza, os jornais mundo afora rapidamente repercutiram a conclusão de que foram servidores públicos corruptos os causadores de tantas mortes. Claro, nada melhor do que usar uma tragédia causada pela competição global entre capitalistas para atacar o governo e culpar a corrupção de alguns poucos indivíduos.

Read more…

Genes Patenteados – Parte II

3 May, 2013 Leave a comment

O patenteamento do código genético caminha a passos largos. Algo que era impensável anos atrás, hoje avança com histórica rapidez. A proteção legal promovida pelas patentes nunca havia sido pensada para também incorporar organismos vivos. Todas as patentes até os anos 1990 eram patentes sobre materiais inorgânicos, que não têm capacidade de auto-replicação. Mas o crescente lobby das grandes corporações conseguiu o impensável: patentear o DNA. A Monsanto foi umas das pioneiras. O que começou com a produção de novos agrotóxicos logo se expandiu para a monopolização do genoma. Os capitalistas perceberam que os grandes lucros estavam na monopolização da auto-replicação. Dessa forma, a patente se estenderia também para as subsequentes proles. Ainda que a semente desaparecesse, o DNA continuaria se auto-replicando e, assim, gerando contínuas rendas de monopólio. Pior ainda, a fertilização cruzada pelo ar levaria os genes patenteados para os campos de outros fazendeiros, que então passariam a sofrer com os custos dos processos em tribunais movidos pela Monsanto. Este é o futuro que se desenha para a agricultura no mundo, uma agricultura que produz alimento para alimentar os lucros. O fato trágico é que a número de famintos no mundo vem aumentando juntamente à crescente monopolização do DNA das sementes. A nova tecnologia está aumentando, e não reduzindo, o preço dos alimentos.

Read more…

Manipulando Dados para Justificar a Austeridade Fiscal

18 April, 2013 4 comments

O influente estudo de Kenneth Rogoff e Carmen Reinhart sobre a relação negativa entre dívida pública e crescimento, publicado originalmente em 2010 na American Economic Review e com a versão preliminar no NBER, acaba de ser desbancado por economistas da Universidade de Massachusetts em Amherst. O estudo de Rogoff e Reinhart foi base para o também livro best seller “This Time Is Different: Eight Centuries of Financial Folly”. O argumento dos autores é o de que há uma relação perniciosa entre alta dívida pública e crescimento do PIB, o que foi imediatamente encampado por políticos conservadores como justificativa científica para os programas de austeridade fiscal. Mas outro recente estudo de Thomas Herndon, Michael Ash e Robert Pollin acaba de invalidar os achados estatísticos de Rogoff e Reinhart ao mostrarem que estes cometerem “erros” básicos de metodologia, além de “erros” ao utilizarem funções no Excel. Pior ainda, o “erro” de Rogoff e Reinhart no Excel alterou por completo a principal conclusão do estudo de que países com relação dívida pública sobre PIB acima dos 90% sofrem, em média, crescimento negativo.

Read more…

A Primeira Guerra Global e o Nacionalismo

14 April, 2013 1 comment

A primeira guerra mundial, que durou de 1914 a 1918, foi o primeiro confronto capitalista em escala global. As causas certamente foram várias, mas não há como negar que a busca por lucros não tenha tido papel central. O confronto envolveu não somente os antigos impérios como também as colônias que controlavam, entra elas colônias na África, no Oriente Médio, na China e no oceano pacífico. Uma verdadeira guerra pelo controle do mundo, comandada pelos capitalistas e pelos generais, mas que foi de fato lutada pelos trabalhadores. Estes mesmos trabalhadores, que em seus respectivos países são explorados pelos capitalistas, são então enviados a lutar em uma guerra criada pelos próprios patrões. Além de já serem explorados, tiveram que dar suas vidas por aqueles que os exploravam. E os exploradores mesmos nunca tocaram os campos de batalha. Conflitos de classe ocultos pelo manto do nacionalismo.

Read more…