Home > Teoria > Marxistas Vs. Pós-Keynesianos

Marxistas Vs. Pós-Keynesianos

Marxistas e pós-keynesianos compartem muitos pontos em comum. Mas também divergem em muitos outros. Como grande exemplo de como estas duas correntes se assemelham  e se diferenciam, nada melhor do que a recente crise econômica mundial. A crise marca bem as assimetrias teóricas e práticas que separam os marxistas dos pós-keynesianos. A renomada revista de esquerda Monthly Review abriu o debate para que estas duas abordagens se encontrassem cara-a-cara. Do lado dos pós-keynesianos estruturalistas contavam com Thomas Palley. Do lado dos marxistas tinham John Bellamy Foster e Robert McChesney. São três artigos. O primeiro é “Monopoly-Finance Capital and the Paradox of Accumulation” de Foster e McChesney, escrito em agosto de 2009. A resposta de Palley veio em abril de 2010 com o artigo “The Limits of Minsky’s Financial Instability Hypothesis as an Explanation of the Crisis“. A resposta de Foster e McChesney ficou com o terceiro artigo, que encerra o debate, “Listen Keynesians, It’s the System!“. Confira aqui na íntegra este importante debate.

.

.

1. “Monopoly-Finance Capital and the Paradox of Accumulation” – John Bellamy Foster and Robert W. McChesney – Monthly Review – August/October 2009.

.

2. “The Limits of Minsky’s Financial Instability Hypothesis as an Explanation of the Crisis” – Thomas Palley – Monthly Review – April 2010

.

3. “Listen Keynesians, It’s the System!” – John Bellamy Foster and Robert W. McChesney – Monthly Review – April 2010

.

.

(*) Agradeço ao colega Ian Seda por ter enviado o link.

.

.

.

.

.

.

.

  1. Aquiles Melo
    5 August, 2010 at 7:39

    Debate excelente e extremamente oportuno! O pessoal da Monthly Review faz um ótimo trabalho e as contribuições de Sweezy e Magdoff, juntamente com os continuadores de suas trajetórias como Foster e Fred Magdoff são de uma excelente qualidade. A tese sobre o Capital Monopolista-Financeiro é extremamente pertinente e traz novamente a discussão sobre as origens da crise contemporânea (Estagnação, subconsumo, LTQTL, desproporção, enfim como articular tudo isso?). Aqui (http://mpra.ub.uni-muenchen.de/18608/1/MPRA_paper_18608.pdf) temos uma ampla discussão sobre as proximidades entre as concepções de dinheiro, crédito e taxa de juros em Marx e Keynes feitas pelo Eckhard Hein da Universidade de Munique. Espero que curtam!

  1. 11 October, 2010 at 19:27
  2. 8 November, 2010 at 21:24
  3. 6 January, 2011 at 8:19

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s